Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Junho, 2009

Lendas aquáticas

Tenho me surpreendido com o fato de poucas pessoas saberem que Joanópolis é mais do que apenas uma cidade do interior de São Paulo. A pouco mais de 100 quilômetros da capital, um sagaz marketeiro emulou os melhores cases de apropriação de mitos universais e carimbou a cidade como a Terra do Lobisomem.

bocudo

Estive lá esse final de semana. A pousada que ficamos era rodeada por uma bela represa, o que imediatamente já me fez pensar na escolha da cidade como uma possível sede do campeonato de Maratonas Aquáticas. O clima aprazível e a proximidade da capital também contribuíram pra essa conclusão, mas somente no sábado à noite tive a informação derradeira.

 Ao fazer uma trilha noturna com todo o mise-en-scene de uma caçada de Lobisomem, o guia imediatamente discorreu sobre as defesas possíveis dos humanos frente à besta: luz de vela, braços abertos e…água corrente! Ou seja, nós nadadores estaríamos mais que protegidos.

Como todo bom cético, quis me certificar da veracidade da informação e recorri a São Google. O FDP do guia trocou as bolas! Quem não atravessa água corrente nem a pau são os vampiros! E de fato, eles até fazem, mas desde que sejam convidados para tal. Partindo do princípio que os nadadores são sempre convidados a cada etapa, nada impede que estejamos nadando lado a lado com discípulos de Nosferatu desalmados e que dão e tiram o sangue pra ganhar.

Então mais um conselho de blogueiro: Naqueles jantares nababos de sábado, pré-travessia, capricha no alho ao temperar o macarrão…

Read Full Post »

Lei do uso e desuso

Depois do lançamento do Mp3 a prova d’água, parece que é séria a campanha em prol do aumento de nadadores ao redor do mundo. Em Malmoe, terceira maior cidade da Suécia (eu só sabia da existência de Estocolmo, isso me faz pensar quando gringo só fala de Rio de Janeiro e Salvador e você ainda acha ruim…) foi liberado o uso de topless – uso de topless? Outro oxímoro sensacional, usar topless??? – em piscinas públicas e particulares.

Então fica assim. Se você não tiver paciência de esperar a medida chegar no Brasil ou achar que ir pra Malmoe é meio “O Albergue” demais, torcer pra gatinha que nada com você – alguém falou em oxímoro??? – ouvir a versão aquática do “We can live your hat on” no seu MP3 a prova d’água e encarnar o “Em teu seio ó liberdade” do hino brasileiro…

Read Full Post »

Parabéns Alcatraz!

Hoje o filme que deu origem a prova e, portanto, deu origem ao blog faz aniversário, completando 3 décadas de existência. Isso me fez chegar à uma conclusão interessante: alguns grandes feitos da humanidade aconteceram no último ano das décadas. Acompanhem os fatos:

         . Chegada do homem à Lua: 1969

        . Escape from Alcatraz: 1979

        . Queda do muro de Berlim: 1989

Tirando a liberdade poética de ter encaixado o filme aí no meio, são fatos que sinalizam rupturas, uma de espaço e outra de ordem social. Então você, fiel leitor do blog (ainda mais se for palmeirense e tiver lembrado do título da Libertadores de 1999), o que você acha que vai acontecer em 2009? Deixe aí sua resposta…

30anos

Read Full Post »

Os mais ligados em cinema vão ler o título e lembrar de um obscuro filme europeu sobre uma mulher que afogava seus amantes. Os que já estão habituados as minhas pobres metáforas, já podem imaginar o que vem pela frente.

O vídeo abaixo mostra um certo garoto propaganda anunciando um produto fantástico. Consigo até imaginar um bordão Tabajara: “Entediado em contar azulejos no fundo da piscina? Seus problemas acabaram”. Na boa, isso é totalmente revolucionário. Prevejo um crescimento brutal de alunos de natação, aumento do stress de incautos professores que sairão do foco de atenção dos alunos, erros grosseiros de contagem de metragem, entre outros fenômenos diretos.

Por fim, não menos importante, anotem aí: 16 de abril. Não é a data de lançamento do produto aqui no Brasil, mas a data do meu aniversário. Munido do meu H20 Audio, prometo fazer set lists de acordo com o nível de intensidade dos treinos e continuar sendo, mais do que nunca, incapaz de contar as séries mais longas e me afogar nos números.

Read Full Post »

Duas provas médias depois – quase seis quilômetros em águas doces e salgadas -, é possível traçar algumas comparações. Enquanto na prova curta você não raciocina muito, simplesmente nada o mais rápido possível em direção à espuma da frente, na prova média, durante os 45 minutos em média de prova, você tem muito tempo pra pensar.

Os cinco minutos iniciais são massacrantes, já que a vontade de desistir te acompanha por boa parte da prova. As bóias não chegam nunca – geralmente são três – e como de tempos em tempos você levanta a cabeça pra checar se está fazendo o circuito bem feito, a sensação é de estar nadando numa esteira. Ou pior, quando tem correnteza, a sensação é de nadar 100 metros e voltar 200, uma espécie de hidra de lerna aquática, aquela que quando cortavam uma cabeça, nasciam mais três.

tecnologia1

Quando você está chegando na última bóia e vislumbra o inflável da chegada, a visão de alguém te passando fomenta muitos pensamentos: “Será que esse fdp é da minha categoria?”, “Porra, nadei 40 minutos na frente desse cara e no sprint final ele vai me passar?”. E essa é a hora em que a prova média mais se assemelha à curta, não tem mais estratégia, é só girar o braço.

Mas aí tem o pay-off. A sensação de missão cumprida é maior que da prova curta, afinal de contas foi quase uma hora dentro da água. É como se aquele português que seguiu o táxi ao invés do ônibus pra economizar mais dinheiro, tivesse feito num percurso mais longo.

Read Full Post »

Eu já falei algumas vezes que maratona aquática é um bicho bem diferente da natação em piscina. Na piscina é cada um numa raia, sem correnteza – ainda mais agora com as piscinas que diminuem quase 100% as ondulações – e sem interação. Também já falei que esse contato com outros nadadores é o que propicia a pancadaria e toda a sorte de atitudes anti-desportivas, como arranhada, puxada no calção e caldos.

Pra entender melhor como uma maratona aquática funciona basta ir a um casamento judaico. Ao primeiro acorde de um Ava Naguila ou Mashiach, uma horda de homens bem vestidos se junta no meio da pista dando início ao festival de pancadas. Ao término dos 30 minutos de música, não só o noivo, mas todos os participantes da dança se reduzem a um exército de maltrapilhos suados e surrados.

rugby

Dito isso, no calendário de casamentos judaicos vindouros, parece que vai ter um duas semanas antes de Alcatraz. Considerando a dor no cotovelo e no abdômen, resultado de uma das catapultas humanas do casamento de ontem, devo fazer igual aqueles jogadores em véspera de ir jogar no exterior; tirar o pé, a mão, o corpo todo e garantir minha integridade física…

Read Full Post »

Já tinha dado a nota de que a disputa na minha categoria seria da quarta posição em diante. Portanto, o fato de eu ter ficado em quarto lugar seria sensacional, não é mesmo? Errado. Um dos três caras que naturalmente preencheriam os lugares mais altos do pódio faltou, abrindo vaga para o pelotão intermediário. Eis que o cara que chegou mais de um minuto e meio depois de mim em Ubatuba, surpreendeu e devolveu – na mesma escala de tempo – o resultado.

Vários motivos podem explicar a diferença dos resultados, considerando as parcas 3 semanas de diferença entre uma prova e outra. O fato de uma prova ter sido em mar e a outra em rio (no mar, precisamos bater muito menos a perna, por exemplo), diferença de quase um quilômetro entre uma e outra, temperaturas diferentes da água, entre outros. Eu prefiro credenciar essa diferença no resultado à própria natureza da maratona aquática, ou seja, a imprevisibilidade.

Um percurso melhor executado, um caminho mais livre, uma dosagem de esforço mais bem feita ao longo da prova, tudo isso contribui. No fim, mais um quarto lugar, mais uma vez muito próximo do pódio. Teremos agora um recesso invernal e a próxima prova só no dia 30/08, as vésperas de alcatraz. Até lá vários dias de treinamento-marmota nos aguardam nas águas mornas da academia…

Read Full Post »

Older Posts »